As fraudes nos azeites: Saiba porquê e como se defender!


Você já deve ter visto as últimas notícias de fraudes em azeites divulgadas esta semana pelos principais meios de comunicação. Desta vez, foi a Secretaria Estadual da Saúde (SES) do Estado de São Paulo que interditou pelo menos 5 empresas responsáveis pela venda de óleo de soja ou óleo misto como se fossem azeite de oliva virgem ou extra virgem e outras 9 ainda passarão por vistoria.

A fraude no azeite é algo muito comum. Como já explicamos aqui, somente pode ser vendido como azeite de oliva o óleo extraído da azeitona, e toda ou qualquer mistura de óleo ao azeite deve ser informada ao consumidor na sua lista de ingredientes, o que muitas empresas não fazem.

Mas você sabe porque esta fraude existe até hoje?

Porque o consumidor não costuma prestar atenção na embalagem do que está comprando e, muitas vezes, não sabe como o azeite de oliva, e principalmente o azeite extra virgem, devem ser. Como o óleo de soja é um produto barato, quando vendido como azeite o lucro da empresa passa a ser extraordinário.

Para não ser enganado você deve se atentar aos seguintes aspectos:

Antes da compra

LEIA A LISTA DE INGREDIENTES!

Algumas marcas escrevem azeite de oliva ou azeite de oliva extra virgem bem grande na frente do rótulo, mas ao ler a lista de ingredientes identifica a mistura óleos e suas proporções. Esta é uma técnica para ludibriar o consumidor sem incorrer na infração mais grave, que é vender óleo ou mistura de óleos, como se fosse azeite.

Após a compra:

PROVE O PRODUTO!

O azeite de oliva tipo único, que encontramos no supermercado, tem sabor e odor neutros. Neste caso, não há como o consumidor saber se está levando gato por lebre, apenas um teste químico pode identificar este tipo de fraude e, por isso, esta prática sempre vai exigir ações de fiscalização por parte das autoridades.

No entanto, o azeite extra virgem tem sabores e aromas frescos, que lembram o campo, frutas, ervas. Se o consumidor abre uma garrafa que diz que aquele produto é um azeite de oliva extra virgem e não sente cheiro nem sabor como os que comentamos acima, este produto, provavelmente, não é um azeite extra virgem.

Há ainda outros odores no azeite de oliva extra virgem que não são bem-vindos. São os aromas de ranço, mofo, dentre outros. Neste caso, o azeite pode não ser extra virgem, mas ainda assim ser azeite.

A melhor coisa a se fazer quando você desconfiar que comprou um produto fraudado é não comprar mais aquela marca. Assim, sem demanda, a empresa sai do mercado, ou muda de comportamento.

Outra coisa que pode ser feita é uma denúncia aos órgãos fiscalizadores e de defesa do consumidor. No site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) você pode fazer uma denúncia anônima sobre a possível fraude nesse link.

Gostou desse post? Quer saber mais sobre azeites e nossas novidades? Então se cadastre em nossa newsletter ou siga nossas redes sociais!

#irregularidades #fraude #MAPA #normas #azeitedeoliva #azeite

293 visualizações

Assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!

SIGA-NOS

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram

© 2017  por Olivoteca. Todos os direitos reservados. Reprodução autorizada desde que citada a fonte